Revista Líder N.º 10 – julho/2020

A edição n.º 10 da revista Líder procurou encontrar respostas para a questão central “How to Rise in The Post-apocalyptic World?”. Como reerguer a confiança, a Economia e uma nova ordem mundial? Como voltar a olhar para o Homem enquanto projeto de desenvolvimento civilizacional? Como retomar a velocidade num mundo em abrandamento? Que velocidade importa agora retomar?

Este tema inclui uma série de reflexões esclarecedoras e multifacetadas que ajudam a pensar num mundo pós-pandémico na perspetiva da Filosofia através de duas conversas com Peter Singer e Mário Sérgio Cortella e um ensaio de Manuel Curado; no âmbito da Economia pelo olhar de Ricardo Reis; da História nas palavras de Maria Antónia Pires de Almeida e da Teologia por Alex Villas BoasArménio Rego (professor de Liderança da Católica Porto Business School) detalha-nos as “Sete ideias sobre o realismo do idealismo pragmático”. E Henrique Monteiro (jornalista e escritor) desenlaça “O que vai revelar o apocalipse?”.

Ainda sobre o tema, fomos saber as reações à pandemia junto de alguns dos principais players dos setores mais afetados em Portugal: Aviação, Hotelaria, Cultura, Restauração e Grandes Superfícies Comerciais.

O artigo “As Grandes Lições de Liderança em tempo de crise”, da autoria de Miguel Pina e Cunha (diretor da revista Líder), Francisco X. Froes (presidente do MBA da Nova SBE) e Arménio Rego baseia-se em entrevistas a 55 líderes/gestores de topo do tecido empresarial nacional, durante o período do confinamento. É um estudo académico que pretende identificar padrões comportamentais suscitados pela pandemia cuja compreensão possa auxiliar líderes em crises futuras.

Gilles Lipovetsky, um dos mais conhecidos filósofos dos nossos tempos, é o entrevistado de abertura. Poder ouvi-lo (neste caso lê-lo) sobre os tempos atuais ajuda-nos a amplificar o pensamento e reenquadrar as nossas preocupações, também a seguir vias alternativas para abordar as questões que nos acometem o espírito.

No dossier Leading People o foco recai para o tema “Is uncertainty the new normal?”Mário Ceitil (presidente da APG) disserta sobre “o potencial produtivo do incerto”. Em entrevista, Paulo Bastos (diretor de Recursos Humanos do Grupo Simoldes) explica como a empresa fornecedora para a indústria automóvel está preparada para uma segunda vaga da COVID-19. Numa altura que importa também definir que tipo de cultura organizacional se deve assumir no “novo normal”, fomos saber como se faz na Jaba Recordati, SIBS, Novo Banco, L’Oréal Portugal, Caixa Geral de Depósitos, ANA Aeroportos, NOVA SBE e TAP Air Portugal.

No especial Formação e Desenvolvimento de Liderança, Cátia Silva (head of Open Courses Business Development | Multimodal Learning & Development Advisor na CEGOC) analisa o futuro da aprendizagem.

O dossier Leading Brands sobre “A brand to return” aborda como devem as marcas (re)posicionar-se e qual a chave para sobreviver no “novo mundo”. A Samsung, a Deloitte, a Galp, os CTT, a Sumol+Compal e a Accenture deixam as suas respostas.

Fomos conversar com o rockstar do design, o austríaco Stefan Sagmeister, que aqui nos fala sobre felicidade, beleza, mas também a arte de criar e transgredir.

E, de repente, mudaram os hábitos, com eles a forma de consumir, estar e trabalhar. As regras do jogo alteraram-se e as marcas sabem que há um novo consumidor. Como podemos compreender as suas necessidades, sentimentos e ações para criar valor? Havas Media Portugal, Wavemaker e Carat Portugal dizem-nos como. Sobre “As cinco questões vitais que moldam o caminho digital das marcas” reflete Rute C. Almeida, diretora da Made2Web Digital Agency.

Para fechar, o dossier Leading Tech mostra-nos “How the privacy is changing?”. No artigo “Querido, mudei a privacidade!”, Bruno Horta Soares, Leading Executive advisor na IDC Portugal, observa a evolução do tema nas organizações. Fomos esclarecer junto de Magda Cocco, sócia responsável pela área de Comunicações, Proteção de Dados & Tecnologia e também responsável pelo setor Aeroespacial da Vieira de Almeida, até onde podemos ir quando falamos de contact tracing apps.

Na Leading Opinion desta edição, Isabel Freire de Andrade, partner da Bright Concept, escreve sobre “Como gerir a cultura remotamente e em situação de crise”.

De ressalvar ainda, a criatividade da capa com assinatura da FCB Lisboa representa um novo capítulo na história das capas da revista. E faz a reinvenção de uma das fotografias mais icónicas e um marco na história mundial, capturada a 14 de agosto de 1945 em Manhattan, pelo aclamado fotojornalista da revista Life, Alfred Eisenstaedt, logo após o anúncio da rendição japonesa, desencadeando o fim da Segunda Guerra Mundial.

Líder é a revista da Tema Central. É uma publicação, com quatro edições por ano, de crítica, investigação e reflexão, que aborda todas as áreas da liderança.